Notícias

Klaus Voormann e Beatles: Por Luciano Teles

Revolver Arte e Música
  • Categoria: Música em Geral
  • Publicação: 21/10/2023 23:16
  • Autor: wesleybmachado.wordpress.com
KLAUS VOORMANN E BEATLES: REVOLVER ARTE E MÚSICA
Luciano Teles



Revolver, que muitos consideram o melhor disco dos Beatles, acabou de fazer aniversário de 57 anos de lançamento, em 5 de agosto de 1966. Sempre se fala sobre sua revolução sonora. Pudera: Eleanor Rigby e Tomorrow Never Knows resumem as razões para isso ocorrer. Letras mais reflexivas e críticas, além de técnicas de gravação inovadoras, com fitas tocadas ao contrário e sons captados de origens diversas, ajudam a consolidar sua fama. 
E a arte gráfica não ficou para trás. A capa do disco tem autoria de Klaus Voormann, artista plástico alemão e amigo dos Beatles, desde os tempos em que tocavam em Hamburgo, Alemanha, entre 1960 e 1962. O berlinense ouviu o disco, ficou maravilhado e pensou como poderia preparar os fãs para a psicodelia que preenchia o álbum, do primeiro ao último sulco. Era 1966 e o “Verão do Amor”, com todo seu sexo, drogas e rock and roll já estava às portas, chegando com força total, em 1967.
Voormann, então, pensou em imagens. Ele sabia que fãs gostavam de fotografias. Eram anos 60 e o acesso a esse material ainda não estava a clicks de distância. Se não estava impresso, ou você não tinha em mãos, esquece. O resultado foi uma colagem com diversas fotos menores, preenchendo os espaços por entre desenhos dos rostos dos integrantes, cada um tomando cerca de 1/4 da capa. Com bastante destaque aos cabelos dos quatro. O próprio Klaus diz que o corte de cabelos dos Beatles ainda eram referência, naqueles dias, mesmo já dois anos pós-Beatlemania. Vale notar que, apesar de sempre se ligar psicodelia a uma explosão de cores, a arte ficou toda em preto e branco.

O resultado fez Brian Epstein, empresário dos Beatles, chorar. Segundo Klaus, ele disse que a arte da capa era a ponte perfeita entre toda a loucura das novas direções musicais dos Beatles e seus fãs. Os Beatles concordaram e disseram ver suas essências captadas nos desenhos. A mesma opinião tiveram os jurados da Recording Academy of the United States, pois Voormann foi agraciado com o Grammy de Melhor Capa de Discos naquele ano. 
Klaus Voormann também é músico, baixista, e produtor musical. Integrou o Manfred Mann de 67 a 69. Depois, tocou em discos de John Lennon, Ringo Starr, George Harrison e muitos outros artistas. Acompanhou alguns deles em shows memoráveis. E planejou a arte gráfica de diversos discos. Em 1995, fez a capa para o projeto The Beatles Anthology – que revisava a carreira da banda. Novamente, colagens de fotos de diversas épocas do período em que os Beatles estiveram na ativa. Melhor, impossível.

Não sou artista plástico. Porém, sendo fã dos Beatles, penso ser possível afirmar que suas imagens estão entre as mais icônicas e representativas de um tempo que passou, mas não ficou para trás. Desde a grafia do nome da banda, como no bumbo da bateria de Ringo Starr, até as capas de seus discos, passando, claro, pelos seus cortes de cabelos - com ou sem os bigodes a la Sgt. Peppers. Simplesmente porque o grupo, e todo seu conteúdo, nos faz parar no tempo. Ler e ouvir The Beatles emociona. Toca o coração.
Klaus Voormann faz isso. Lembre-se: o primeiro disco dos Beatles, Please Please Me, é de apenas três anos antes, 1963. No final daquele ano, a Beatlemania tomou o mundo de assalto e foi até o fim de 1965. Ao retratar a banda, em fotos e desenhos, ele conseguiu captar os Beatles e seu tempo, até então. 
Eu olho a capa do LP Revolver e vejo algo a mais, no jogo de fotos de tempos recentes de agitação, em menor tamanho, em meio a imagens mais contemplativas, desenhadas, que tomam a maior parte da arte: o crescimento da mudança musical, mudança de vida, mudança de visão do mundo e de sua própria percepção neste. Nostalgia e novidade, emoção e expectativa em uma só imagem. Klaus Voormann conseguiu ilustrar tudo isso e entregar, aos Beatles e ao público, o resumo perfeito de uma época. 
Curiosidades:
Curiosamente, a capa de Revolver meio que antecipa o design que seria adotado para a capa de Let It Be, em 1970. Ou seja: cada beatle tem foto de seu rosto impresso em 1/4 da arte. Paul e John dividem a metade superior. Ringo e George, a inferior. Chega? Não. Em Revolver, no canto superior esquerdo, Paul está virado para sua direita, olhando para “fora”. John, no canto superior direito, tem seu rosto voltado para frente. Em Let It Be, além de John estar à esquerda, com Paul à direita, o primeiro é quem olha para “fora”, enquanto o baixista olha para frente. 
Ainda: nas duas capas, Ringo ocupa o canto inferior esquerdo, com corpo voltado para sua direita e rosto levemente elevado, com expressão facial de contemplação. Já George tem sua imagem no canto inferior direito, mas com expressões e posicionamento diferentes. Em Revolver, tal como John, está voltado para a frente. Em Let It Be, volta-se a sua direita e, já de forma contrária à fama de disco e filme depressivos, que tomou conta do trabalho, sorrindo. Nenhum deles está com o rosto voltado à esquerda. 
Revolver foi lançado em 05 de agosto de 1966, no intervalo de duas turnês dos Beatles. A primeira, entre 24 de junho e 4 de julho, passou por Alemanha, Japão e Filipinas. A segunda, por Estados Unidos e Canadá, entre 12 e 29 de agosto – que acabou sendo o último show deles ao vivo, diante de plateia pagante, em São Francisco, EUA.  Quando Brian Epstein chora, ao se emocionar com a capa de Revolver, os Beatles ainda não tinham decidido parar com as turnês. Mas era exatamente nas excursões que Brian mais trabalhava. Era quando se via com real importância. Com a nova fase que viria, com o grupo apenas compondo e gravando, ele viu seu papel diminuído. Ou seja: a capa que tanto o emocionou, na verdade, marcava o início do fim de sua carreira como empresário, tal como tinha imaginado. Ele viria a morrer em 27 de agosto de 1967, um ano depois do lançamento de Revolver, aos 32 anos. Laudo atestou “morte acidental” por overdose de medicamentos para insônia.

Referências bibliográficas:
https://illustrationchronicles.com/illustrated-psychedelia-klaus-voormann-the-beatles-revolver
https://introgroove.com/2018/04/29/april-29-klaus-voormann-at-80/
https://beatlesblogger.com/2016/07/17/new-klaus-voormann-book-revolver-50/
https://www.voormann.com/portfolio-items/revolver-cover/
https://www.thebeatles.com/revolver